Vire a Página

Atualizado em 14/02/2020 às 10:56

Apresentação

 O hábito da leitura não está entre os mais populares em nosso País. Pesquisa recente realizada pelo Instituto Pró-Livro indica que o brasileiro lê 2,3 livros por ano. Essa média muda radicalmente, porém, se o público analisado for o dos presidiários. Na infinitude das palavras, essas pessoas encontram alternativa para viver o mundo do outro lado do muro: detentos leem nove vezes mais do que a média nacional.

Uma recomendação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) permite aos presos, além da oportunidade de leitura dos mais variados títulos, produzir resenhas das obras – cada resenha é avaliada por uma comissão e pode resultar em quatro dias a menos da pena.

Nesse contexto surge o projeto Vire à Página, o qual tem a intenção de arrecadar livros para apoiar a iniciativa existente no Presidio Regional de Xanxerê referente a leitura, interpretação e construção de resenhas críticas visando tanto o fomento ao hábito de ler, quanto o benefício da remição de dias da pena de pessoas privadas de liberdade.

O Presídio Regional de Xanxerê atualmente mantém reclusos cerca de 260 pessoas e uma das poucas permissões que os detentos possuem é a de ler.

Nesse ambiente, acessam de um a cinco livros mensalmente e ainda podem participar do Projeto Despertar Pela Leitura desenvolvido no sistema prisional do Estado, uma vez por mês.

Objetivo geral:

O projeto tem por objetivo arrecadar livros para incentivar e aproximar o detento do universo literário como ferramenta no processo da cidadania.

Objetivos específicos:

- Apoiar a leitura, a produção de resenha entre os detentos;

- Desconstruir o estigma negativo em relação à população carcerária brasileira;

- Melhorar o vocabulário dos apenados e consequentemente sua inserção do mercado de trabalho;

- Estimular a reinserção social do interno, por meio do ensino e da literatura

Funcionamento:

A AMAI fará ampla campanha de divulgação do projeto em suas redes sociais e mídias existentes, com vistas a arrecadação de exemplares de livros;

A Associação e prefeituras dos municípios associados poderão abrigar pontos de coletas;

Os livros arrecadados serão selecionados sob critério de contribuir para a formação intelectual do interno e não estimular a violência. Serão incentivadas as doações de obras literárias, científicas ou filosóficas, podendo ser romance, autoajuda, narrativas fantásticas ou 'biografias'.

O excedente de livros será distribuído às bibliotecas municipais da região ou para entidades socioassistenciais.

Para conhecer o procedimento de cadastramento das Entidades CLIQUE AQUI!


publish